quarta-feira, abril 18, 2007

Ufa!

Hoje foi um dia cansativo. Razão: visita de estudo! Qualquer professor fica esgotado, quanto mais não seja pela responsabilidade acrescida de levar para longe da escola uma data de miúdos. Mas hoje correu tudo bem. E não me refiro apenas ao regresso a casa, sãos e salvos. Falo dos objectivos da visita. De manhã, o caos para entrar em Lisboa. Atrasos. Peripécias. Finalmente, a Casa Museu Fernando Pessoa. Fomos muito bem recebidos. A guia contou aos alunos "outras" histórias da vida de Pessoa, daquelas que não estão nos manuais. Falou de um heterónimo mulher, Maria José. De uma carta escrita por este heterónimo: "A CARTA DA CORCUNDA PARA O SERRALHEIRO". Despertou-lhes a curiosidade de tal forma que quiseram saber mais e ler a carta.
De tarde, Assembleia da República. Toda a seriedade do aparato inicial é desmontada pelo comportamento da maior parte dos deputados. É proposto pelo Partido dos Verdes que a vacina que previne o cancro do colo do útero seja integrada no programa nacional de vacinação. A deputada discursa. " Professora...mas ninguém a está a ouvir. Isto é mesmo assim?", "Olhe, aqueles falam e o outro lê um jornal", "Fazem tanto barulho que nem se conseguem ouvir." Enfim... Fizeram perguntas e apesar do choque, gostaram. O tempo passou a voar. Mas a parte melhor de uma visita de estudo é sempre o regresso a casa. Se possível, de "barriga cheia". Sãos e salvos. Mas com mais bagagem.

3 comentários:

Haddock disse...

Pronto! estive aqui há umas horas vi uns posts e até já tinha uma ideia de comentário, interromperam-me uns chatos, tive de ir... volto, e dou de caras com outra paisagem!! assim não é justo!!
AR?? coitadinhos... mas assim nem se inscrevem nos cadernos eleitorais!!
um abraço!
(e tqf!)

nuno disse...

já viste que eles na sua inocência alcançam bem a realidade de uma A.R. muito barulho e pouca atenção!
e eu que adoro Fernando Pessoa desconhecia de todo esse heterónimo!

Orquidea disse...

AR? Estiveste tão perto...
Eu vou começar a visitar-te aqui, neste cantinho.