segunda-feira, setembro 10, 2007

Fusão


Percorria a estrada apenas para cortar o vento com o corpo, sentir que avançava de qualquer forma, porque as pernas mexiam e os braços também. Apenas o corpo pesava naquela estrada. Lutava contra o vento, contra todos os ventos do mundo. Pensar pesa, andar contra o vento liberta o peso de pensar, cansa o corpo, ajuda a adormecer. Andava depressa, queria fugir de si ou para dentro de si de tal forma que tudo se confundisse e acalmasse. Até que deixou de sentir corpo, vento. Fitou o avesso e estremeceu.



2 comentários:

Vanadis disse...

Pois, ontem tive uma aventura assim do género, ao ir para a praia de faro e levar com todas as rajadas do momento. Isso e mais a bicha de meia hora pra sair dali...

Matchbox30 disse...

Eu foi mais uma trovoada...