sábado, outubro 27, 2007

Inside

Morro do que há no mundo:
do que vi, do que ouvi.
Morro do que vivi.
Morro comigo, apenas:
com lembranças amadas,
porém desesperadas.
Morro cheia de assombro
por não sentir em mim
nem princípio nem fim.
Morro: e a circunferência
fica, em redor, fechada.
Dentro sou tudo e nada.

Cecília Meireles

2 comentários:

Haddock disse...

entre este e o de cima....
cemremos, confessa lá: isto foi mesmo para me encurralar, não foi??
(não que sejamos pretensiosos....)

Matchbox30 disse...

Quanto mais conhecemos do mundo, mais mal ele nos faz!