domingo, março 09, 2008

Hunger

´
Feast of love - Banquete do amor

" There is a story about the Greek Gods; they were bored so they invented human beings, but they were still bored so they invented love, then they weren't bored any longer. So they decided to try love for themselves. And finally, they invented laughter, so they could stand it."

Este é um daqueles filmes que surpreende. Aparentemente, não nos obrigaria a pensar muito.Um filme sobre o amor, boy meets girl, girl loves boy, blá,blá. Mas não se trata disso ou apenas disso. Nesta reflexão sobre o amor encontramos histórias e personagens muito diferentes entre si que partilham a procura do amor. O engano acaba por fazer parte desse caminho. O engano de uns acaba por ser a certeza de outros. A dada altura, a personagem interpretada por Morgan Freeman (Harry) diz: oh shit, Bradley. Listen! You've just got to stay alert! Everything we need to know is going on right in front of our eyes. Yeah, we have our illusions about people, our hopes. And they can blind us, but the end is right there in the beginning!No, no, no, no - jump, jump! But with your eyes open! Harry volta a encontrar o amor. Estava escondido debaixo do peso da culpa pela morte do filho, culpa pela forma como o educou, permitindo que fizesse as suas escolhas.Mas nem todos os erros são recuperáveis!

A personagem de Bradley representa no fundo a crença no amor. É por isso que resiste e não desiste. Apenas quer amar e ser amado. É capaz de cortar um dedo porque prefere a dor física à dor da alma. E o amor acaba por lhe acontecer. Porque no fundo acontece sempre a quem acredita. Acontece sempre a quem finge não acreditar.Acontece a quem espera. Acontece a quem desiste. Acontece a quem tem medo de recomeçar. Acontece a quem não tem medo de continuar. Apenas acontece.

Lembrei-me desta música, a respeito das "dores" de amor...



3 comentários:

Matchbox31 disse...

Eu acho que tem que se acreditar sempre no amor. Mesmo que as coisas corram mal e magoem, tem sempre que se acreditar que o verdadeiro amor virá...

Professorinha disse...

A dor do amor é das piores... a dor do amor pode ser saudade, desgosto, traição, desilusão, querer mais, injustiça, impotência, desespero...

A dor do amor... o amor não deveria trazer dor...

Haddock disse...

pronto! estávamos nós todos entretidos a ver a sinopse mais a tubagem e rematam-nos com o dito david... francamente, cemremos!!!!