quinta-feira, julho 03, 2008

Lugares

Cada lugar teu - Mafalda Veiga

Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: Quero é uma verdade inventada.


Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.


Clarice Lispector

3 comentários:

jj disse...

Ai a minha Clarice... O meu sonho, quando for grande, é ser Clarice! Sabias? Não, não costumo dizer...

Também gosto da Mafaldinha, dessa música então!..., mas a Clarice ofusca tudo. Está-lhe na natureza do sangue. É assim. :))))))))))

Jinhos.

Haddock disse...

grande texto!!
já a mafalda soa-me um bocadinho àquele david que tu sabes, cemremos...

Matchbox31 disse...

Adorei o texto! Não conhecia... mas concordo plenamente, a vida tem que ser vivida...