sexta-feira, janeiro 30, 2009

What is it?

Pediram-me que (com base na minha experiência) tentasse explicar o insucesso escolar. Confesso que apesar de ter algumas opiniões, não consigo objectivar de forma clara e organizada este assunto, até porque este é um tema de reflexão diária, na tentativa de fazer o melhor que posso enquanto professora de Português e Inglês do ensino secundário. O facto de ser professora do ensino secundário poderia justificar uma possível culpabilização dos ciclos que antecedem a chegada dos alunos à minha sala de aula. Porém, tal acusação não seria justa. Não negarei que existem casos pontuais de fracasso de alunos por culpa de colegas ou até mesmo por culpa de alguma facilidade ou absentismo. Qualquer professor que preze a sua função tem como objectivo o sucesso académico, pessoal e social dos seus alunos. Contudo, nem sempre isso acontece. Quais serão as razões do insucesso escolar? Será a educação dada em casa? Será a situação económica em que vivem os alunos? Serão os professores que não conseguem estimular os alunos? Serão os alunos que não conseguem ver qualquer tipo de utilidade nos conhecimentos transmitidos pela escola?
Lembro-me muitas vezes da paixão que tinha, enquanto aluna, de aprender coisas novas. Lembro-me de como gostava de ser posta à prova pelos professores, de tentar superar-me enquanto aluna, de querer sempre mais, de saber o que queria, do que gostava e do que não gostava.
Hoje em dia, para grande parte dos alunos, a escola é uma seca. Aprender é uma seca. As matérias são cenas que não interessam para nada. A escola é apenas um sítio onde se tem que estar a maior parte do dia. E isso leva ao insucesso. Nas escolas existem vários cenários: alunos motivados que desmotivam perante professores desmotivados; alunos desmotivados que permanecem desmotivados, apesar da tentativa de professores muito motivados, que tentam “reanimar” vezes sem conta o gosto pela aprendizagem. Pais que se interessam, pais que não querem saber. Alunos com dificuldades de aprendizagem que demonstram muita vontade e muito empenho; alunos com muita capacidade que preferem não se entregar a qualquer tipo de actividade que os faça usar essa capacidade. Etc.
Eu gostava de poder dizer, afirmar “ as causas do insucesso escolar são estas, dois pontos”. Mas não é possível. A escola é o retrato do mundo em que vivemos. Um mundo cada vez mais complexo, mais inconstante. A escola tem tentado adaptar-se ao novo tipo de aluno, fruto deste novo mundo, mais líquido do que sólido. Enquanto a escola for vista pelos alunos como uma prisão onde supostamente não há janelas para o mundo exterior e para o seu pequeno mundo, então o insucesso continuará a existir. Enquanto existirem professores pouco preocupados com o insucesso dos seus alunos, então o insucesso continuará a existir.
A cura do insucesso escolar está onde sempre esteve: em cada um de nós: como pais, professores, alunos, cidadãos, pessoas.

2 comentários:

Van disse...

I mai nada. É isso mesmo. Subscrevo cada palavra, acrescentando que, por muito motivado que seja um "stôr", não pode salvar quem não quer ser salvo...

Serigaita L. disse...

Também subscrevo todas as ideias descritas. Acrescento só o que sinto quando me deparo com alguém que não se interessa pela escola, uma total ausência de objectivos. Eu lembro-me que quando estava na escola tinha um objectivo muito claro para a minha vida. Hoje em dia julgo que estudantes não têm qualquer tipo de objectivo preferem simplesmente entregar-se á inércia e a actividades que pouco vai acrescentar às suas vidas...