sábado, fevereiro 21, 2009

The Reader

Dísticos

No princípio era o luar, com as suas
veias de leite e os seus seios a arfar.

E vieram os sonhos brancos de madrugada,
que vestiram as folhas de geada.

Nasceu nos teus ombros a manhã,
curvada como a figueira anã.

Nada disto se pode dizer
quando não há maneira de te esquecer.


Nuno Júdice


Um comentário:

jj disse...

Andamos em sintonia cinéfila. :))))))

Também vi, estes dias!!!

No comments ao poema do NJ.


Jinhos.