quinta-feira, setembro 17, 2009

Tempestade

Ondas gigantes
desceram ao mar
E este, inquieto,
escondeu nos seus braços
o barco a girar.

Semremos, sem vela...
Destroçada embarcação.
o vento puxa por ela ...
A bússola aponta
-ilusão.

Barcaça, deixa-te estar...

O céu espera.
Não esquece
que é feito
de mar.

4 comentários:

Vani disse...

Nao esquece,não. :))))


Tá tudo oki, nina?....

100 remos disse...

EStá tudo ok.Obrigada. ;)Bjinhos.

Apple disse...

Emboara me acorde uma nostalgia com laivos de tristeza, não deixa de ser belo.Muito belo...

Caranguejo disse...

Muito interessante e de facto não esquece não.

Beijo