terça-feira, fevereiro 02, 2010

No use

Sou espinho cravado
(em mim).
Sou sangue fresco,
pisado, que deixo
secar sem pressa.
Que o espinho é já
meu, e o sangue ...
regressa.

2 comentários:

Lana disse...

não sei que comentario deixar a este verso, mas aproveito para agradecer o facto de dia sim, dia sim, estares a comentar no meu blog =) merci for the attention ^^

100 remos disse...

Lana: eu é que agradeço o privilégio de te ler. ;)))))