quarta-feira, janeiro 02, 2008

Vertigo




Dentro de si tudo girava,
em corda de vida enrolava.
De dentro para fora sentia
um corpo sem dono, tremia.
A voz deixou de se ouvir
e o que se iria seguir.
Consegue agora escutar
gota outrora feita de mar.
Na face sentida, bem quente,
água doce de amor
não mente.

6 comentários:

Haddock disse...

ai aqui não abro eu as hostilidades....
volto!

Vanadis disse...

Qualquer dia temos poemário. =)

Lia Bettencourt disse...

U2. isto é como o vinho. juro que queria gostar! ...mas não consigo.

prefiro o poema em silêncio.

nosurprises disse...

Adoro U2 como axo que já tive oportunidade de o dizer aqui.
Obrigada pelo comentário.
Bjinhos.

Matchbox30 disse...

Cada vez gosto mais dos teus poemas... continua!

Haddock disse...

prontosss...
vim fechar as hostilidades!!!